TuneList - Make your site Live

Grupo de pessoas que leram e aguentaram

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Isso vai dar merda, capitão.

A propósito do clima de insegurança e de guerra civil que se vive no Rio de Janeiro (segundo relatos de pessoas que lá vivem a coisa não é assim tão negra quanto se pinta, excepção feita às favelas, mas adiante) lembrei-me que Portugal, como país importador, podia e DEVIA, começar a importar as fórmulas de sucesso. Podia e DEVIA começar a importar bons exemplos e porque não começar já?
Quero ter batalhões do BOPE a fazer incursões relâmpago, quero ter tanques e militares nas ruas em seu auxílio.
A esta altura cada um de nós faz uma lista mental de pontos estratégicos onde as acções eram mais necessárias, e claro, egoistas que somos, colocamos a nossa "private agenda" à frente do interesse nacional.
O vizinho que faz barulho muito cedo, o senhor  que não limpa a merda do cão em frente à porta do prédio, o sacana do 3ºesq que deixa sempre o lixo à porta e empesta as escadas, o filho da puta que nos rouba o lugar preferido, etc.
Mas eu hoje acordei filantropo e designei um "primary target", um objectivo principal que importa, a todo custo invadir.
Falo, claro está, da Assembleia da República.
Capitão Nascimento, se me estiveres a ler, "assenta o dedo no gatilho naqueles merdas", são "uma cambada de maconheiros filhos da puta".
Ah, e na volta trata dos magistrados corruptos.



PS: Quando voltar a escrever espero que o meu desejo já tenha sido realizado.


O que eu sei vocês já sabem!
Espero ter colaborado.


2 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Meu caro amigo, se viesse o BOPE por este Portugal dentro, até tínhamos uma overdose de oxigénio, tal a quantidade de pessoas que quinavam. Só em políticos e dirigentes desportivos enchia-se o Cemitério dos Prazers numas centenas de camadas!

Abraço!

Adrenaline Shot disse...

Temo pela tua saúde física (que a mental já todos sabemos como anda..) meu amigo. Se o SIS lê blogs estás tramado. Eu tenho a minha opiniaozita sobre o caso, mas sou mais do tipo "caladinho".